Tribuna Livre...

Tribuna Livre

Reivindicações populares

– O senhor Oromar Rivelino de Almeida participou da Reunião Ordinária, no dia 2 de março, e cobrou novamente a iluminação do túnel localizado no Alto Santa Rita, bem como o temporizador para a quadra de esportes, pois a iluminação já existe. Comparou os demais locais da cidade que possuem iluminação adequada com a quadra do bairro, com esta pendência há tanto tempo, e as crianças pagando R$ 2,00 para praticar suas atividades no período da noite. Destacou que vidas foram perdidas na Rodovia BR – 267 no trecho do túnel, mas nada até o momento foi feito para melhorar as condições dos pedestres.

Comentou sobre outras necessidades básicas das pessoas, independentemente de sua classe social, pois todos sonham e almejam um conforto melhor. Reforçou a necessidade de alguma providência em prol da iluminação do túnel. Conclamou as autoridades públicas que olhassem pelo povo do Santa Rita, principalmente pelos moradores das margens da rodovia. Elencou diversos problemas existentes na comunidade, enfatizando que aquelas pessoas estão necessitando urgente de atenção do poder público, e cobram por melhores condições de vida. Solicitou a construção de banheiros para os visitantes, no Presídio, ou a colocação de banheiros químicos.

Ao ser questionado pelo vereador Paulo Rodrigues, que se propôs ajudar a solucionar a falta de iluminação no túnel de acesso ao bairro, sobre a situação da Associação dos Moradores e como funciona a iluminação da quadra, Oromar explicou que a Associação possui um presidente e que a energia elétrica utilizada na quadra é paga através de uma taxa que administra.

Manifestações dos vereadores

– O vereador Renato Brandão adiantou que a iluminação nas quadras municipais será implantada em breve, pois está no planejamento da Secretaria de Esportes.

– O vereador Paulo Rodrigues orientou o senhor Oromar a procurar a diretoria do Presídio, a fim de solucionar o problema dos banheiros.

– O vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta) destacou a importância das suas reivindicações para a comunidade do Santa Rita, em especial para os moradores das margens da BR – 267. Apoiou a reivindicação referente aos banheiros para os visitantes do Presídio.

– O presidente Jean Carlos desejou sucesso no atendimento das reivindicações do senhor Oromar.

 Educação Estadual

– O professor João Carlos Junqueira falou da Educação Estadual durante a Reunião Ordinária, no dia 2 de março. Discorreu sobre o início da greve que estava ocorrendo na rede pública estadual, que começou no dia 11 de fevereiro, coincidindo com o início do ano letivo. Disse que as reivindicações da greve eram inúmeras, mas que se esgotaram as tentativas de negociações com o Governo para solucionar as pendências para com os profissionais da educação. Explicou que foi uma decisão tomada de forma cautelosa, para amenizar os prejuízos principalmente dos alunos. Destacou que a Secretaria de Estado de Educação realizou muitas mudanças, e em 2020 implantou a forma de matrícula online, fato que dificultou muito o trabalho das escolas, pois muitos alunos não conseguiram se matricular.

Reclamou do descumprimento das leis que garantem o piso salarial ao magistério, pelo Governador Zema. Reclamou das diversas inconsistências no sistema de matrícula da rede estadual, bem como da superlotação das salas de aulas, e enumerou diversos fatores negativos que dificultam a manutenção da educação pública no âmbito estadual, pois 30% dos seus colegas não receberam o 13º salário, levando os profissionais da área à paralisação. Disse que é preciso manter a população informada sobre essa situação, mas que a greve é um mal necessário naquele momento.

Destacou a existência de uma luta pela isonomia das categorias de trabalho do Estado, na Assembleia de Minas, defendida pela Deputada Beatriz Cerqueira. Esclareceu que o SIND-UTE/MG não é contra o aumento salarial da categoria dos servidores de segurança pública, pois são servidores merecedores, assim como a categoria dos servidores da educação. Informou que no dia 5 de março haveria um encontro na capital, para protestar contra as políticas adotadas pelo Governador, que já sinalizou o veto da emenda apresentada pela Deputada Beatriz, sobre a isonomia no tratamento das categorias trabalhistas.

Disse que todos esperavam êxito nas questões pleiteadas, e que subsequente haveria o regime de recuperação fiscal, pois por seis anos os salários ficariam congelados, causando somente prejuízos aos servidores estaduais. Agradeceu a oportunidade de expor a situação à população e convidou os interessados para a referida viagem, visando fortalecer o grupo em prol dos servidores estaduais, principalmente os professores. Pediu aos vereadores, se possível, a apresentação de uma Moção à categoria.

Manifestações dos vereadores

– O vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta) declarou apoio total à greve e que luta pelos professores, que não são valorizados merecidamente.

– A vereadora Jenny Aragão (Gica) manifestou indignação com a situação causada pelas matrículas online. Destacou que somente com a união das forças se buscaria uma solução da situação. Manifestou contrariedade com a política de congelamento dos salários dos servidores estaduais, afetando a categoria dos professores. Relembrou a luta da categoria que constantemente briga por suas causas, e falou que somente dessa forma é possível alcançar algum objetivo.

– O vereador Fábio Curi discorreu que acredita muito nas participações populares no processo democrático, visando principalmente o alcance dos direitos das categorias diversas e que respeitava o SIND-UTE/MG. Pediu ao Sindicato o envio à Câmara de um ofício contendo os motivos da greve para que os vereadores formalizassem um pedido junto aos deputados estaduais e federais para se conscientizarem dos seus atos em defesa dos trabalhadores.

– O vereador Vinicius Hemetério considerou os professores a classe mais importante do país, declarando o seu apoio aos colegas.

– O vereador Mário Alves manifestou solidariedade ao movimento dos professores. Recordou que era ferrenho combatente ao ex-governador Pimentel, pois sua administração fora um retrocesso para o Estado, e que sua opinião é similar sobre o atual gestor. Relembrou que em outras oportunidades cobrou soluções para a questão dos atrasos dos pagamentos dos servidores e que esperava um novo posicionamento do governador Zema e manifestou apoio a todos os professores.

– O vereador Renato Brandão declarou apoio ao movimento pleiteado. Considerou que se tratava de um descaso para a classe do magistério, mas mesmo assim os professores não desistiam de seus alunos. Elogiou o trabalho da rede pública de ensino, que alcançou através dos seus alunos diversas vagas em faculdades federais.

– O secretário Francisco Martins (Kiko) destacou a importância da luta contra a superlotação nas salas de aulas, um retrocesso para a educação do Estado. Disse que infelizmente os políticos não têm consciência das dificuldades reais dos professores, e que mesmo diante de tantas dificuldades, preparam os alunos para um futuro melhor, tornando-os apto a ocupar uma vaga numa faculdade. Criticou a condução da educação no País, e destacou a eventual omissão dos legisladores na melhoria das políticas públicas nessa área, tendo uma tendência muito forte de piorar cada vez mais.