Projetos apro...

Projetos aprovados pela Câmara

         Projeto de Lei no 62/20

         Autoriza o Poder Executivo a realizar transposição entre dotações do Poder Executivo no Orçamento de 2020.

         O valor da transposição é de R$ 150.000,00, para a realização de despesas com medicamentos para farmácia básica do município, contratação de serviços de terceiros e aquisição de equipamentos e materiais permanentes para a Secretaria de Educação.

        O projeto apresentado pelo Executivo foi aprovado em única votação, no dia 10 de agosto, por nove votos. Ausência justificada da vereadora Jenny Aragão (Gica).

         Projeto de Lei no 63/20

         Autoriza o Poder Executivo a realizar transposição entre dotações do Poder Executivo no Orçamento de 2020.

         O valor da transposição é de R$ 3.422.000,00, para reforço de dotações para composição das folhas de pagamento dos servidores do Município.

          O projeto apresentado pelo Executivo foi aprovado em única votação, no dia 10 de agosto, por nove votos. Ausência justificada da vereadora Jenny Aragão (Gica).

         Projeto de Lei no 64/20

         Denomina logradouro público – A Rua “F” localizada no bairro Santo Antônio, Condomínio Valparaíso, fica denominada “Rua Prefeito Caio Ruy Martins de Almeida”.         

          “Entre suas obras para a cidade se destacam o COHAB e a Escola Polivalente em Caxambu, dentre inúmeras outras, também se destacando a compra do antigo Colégio Santa Terezinha, onde se instalou mais tarde a Escola Estadual Ruth Martins de Almeida que em homenagem levou o nome de sua mãe. Foi também presidente do CRAC e da Sociedade Rural do Sul de Minas, onde realizou memoráveis eventos com grande repercussão no Sul de Minas”, justificou o presidente Jean Carlos, ao apresentar o projeto.

          O projeto foi aprovado em segunda votação, no dia 17 de agosto, por oito votos. Ausências justificadas dos vereadores Jenny Aragão (Gica) e Jean Carlos (presidente). O vice-presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) presidiu a sessão.

         Projeto de Lei no 65/20

         Autoriza o Poder Executivo a realizar transposição entre dotações do Poder Executivo no Orçamento de 2020.

         O valor da transposição é de R$ 495.000,00, para a realização de despesas com obras e serviços da Secretaria de Obras.

          O projeto apresentado pelo Executivo foi aprovado em única votação, no dia 10 de agosto, por nove votos. Ausência justificada da vereadora Jenny Aragão (Gica).

         Projeto de Lei no 66/20

         Autoriza o Poder Executivo a realizar transposição entre dotações do Poder Executivo no Orçamento de 2020.

         O valor da transposição é de R$ 226.000,00, para a realização de despesas com medicamentos para a Farmácia Básica do município.

          O projeto apresentado pelo Executivo foi aprovado em única votação, no dia 10 de agosto, por nove votos. Ausência justificada da vereadora Jenny Aragão (Gica).

         Projeto de Lei no 67/20

          Denomina logradouro público – A Rua “B” localizada no bairro Santo Antônio, Condomínio Valparaíso, fica denominada “Rua José Márcio Carvalho Leite”.

          “Sua trajetória passa pelo cavalo Mangalarga Marchador, tendo se destacado com seu criatório reconhecido nacionalmente.

          Foi árbitro da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), atuando com muita dedicação e profissionalismo nos mais diversos eventos do país.

          Na 36ª Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador, em julho de 2017, foi homenageado pelo presidente da ABCCMM, Daniel Borja, com o traféu ‘Pilares da Raça’.

          Por todo reconhecimento ao trabalho prestado no setor do Agronegócio, foi homenageado com o Título de Honra ao Mérito Rural pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG)”, justificou o presidente Jean Carlos, ao apresentar o projeto.

          O projeto foi aprovado em segunda votação, no dia 17 de agosto, por oito votos. Ausências justificadas dos vereadores Jenny Aragão (Gica) e Jean Carlos (presidente). O vice-presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) presidiu a sessão.

         Projeto de Lei no 68/20

          Denomina logradouro público – A Rua “E” localizada no bairro Santo Antônio, Condomínio Valparaíso, fica denominada “Rua Euclides da Cunha Corrêa”.

          “Em 1913, chegava a Caxambu o primeiro automóvel. Foi trazido por Euclides da Cunha Corrêa. Euclides nasceu no Rio de Janeiro, filho de Manoel João Corrêa e Noêmia Isabel Corrêa. Veio a Caxambu a pedido de Domingos Leonardo, que era então o proprietário do Hotel Bragança e aproveitou para se tratar com a água da Fonte Dona Leopoldina.

          Findo o tratamento, não regressou para o Rio de Janeiro e começou a ensinar a dirigir automóveis aos jovens interessados. Casou-se com Maria da Conceição Oliveira e montou uma oficina mecânica onde formava alunos no ramo.

          Trabalhou no Palace Hotel como motorista e eletricista. Mais tarde, tornou-se autônomo tendo seu próprio carro. Percorreu muitas estradas e cidades servindo os veranistas e aquáticos”, justificou o presidente Jean Carlos, ao apresentar o projeto.

          O projeto foi aprovado em segunda votação, no dia 17 de agosto, por oito votos. Ausências justificadas dos vereadores Jenny Aragão (Gica) e Jean Carlos (presidente). O vice-presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) presidiu a sessão.

         Projeto de Lei no 70/20

          Denomina logradouro público – A Rua “A” localizada no bairro Santo Antônio, Condomínio Valparaíso, fica denominada “Rua Maurício Guedes de Mello”.

          … “Em função de sua destacada carreira na área de infraestrutura rodoviária, o engenheiro foi convidado, em meados da década de 80, para assumir a Diretoria Geral do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais – DER/MG, sendo responsável pela concepção e implantação do maior programa de obras rodoviárias da história do Estado. O sucesso na execução desse objetivo o qualificou para assumir, ainda na década de 80, a chefia da Secretaria de Estado de Obras Públicas de Minas Gerais, cargo que voltou a ocupar no final da década seguinte.

          Durante os anos em que esteve à frente do setor de Obras do Estado, o engenheiro contribuiu para o desenvolvimento urbano, rodoviário e econômico do Sul de Minas. Em Caxambu, destacam-se as obras de canalização do Ribeirão Bengo e implantação da Avenida Ápio Cardoso, a ampliação e pavimentação do aeroporto municipal, o programa Pró-habitação de moradias populares, além do asfaltamento e execução de obras de infraestrutura urbana em diversos bairros da cidade.

          Em reconhecimento ao seu destacado papel na viabilização de importantes investimentos nas áreas de saneamento, infraestrutura e transportes não apenas na região, mas em todo o Estado, Maurício Guedes foi agraciado com o título de Cidadão Honorário por diversos municípios mineiros. Com um sentido humanista profundo de sua profissão, insistia que as obras de infraestrutura só se justificam na medida em que possam levar desenvolvimento econômico e social às comunidades que delas mais necessitam.

          Já no início dos anos 2000, Maurício Guedes foi chamado a ocupar o cargo de Diretor da Eletrobrás – Centrais Elétricas Brasileiras S.A., tendo regressado a Caxambu após o término desse seu último compromisso profissional.

          Faleceu aos 65 anos de idade, em sua terra natal, no dia 10 de abril de 2007”, justificou o presidente Jean Carlos, ao apresentar o projeto.

          O projeto foi aprovado em segunda votação, no dia 17 de agosto, por oito votos. Ausências justificadas dos vereadores Jenny Aragão (Gica) e Jean Carlos (presidente). O vice-presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) presidiu a sessão.

         Projeto de Lei no 71/20

          Denomina logradouro público – A Rua “C” localizada no bairro Santo Antônio, Condomínio Valparaíso, fica denominada “Rua Aluízio Maciel Pereira”.

          “Fazendeiro de profissão, comerciante, proprietário da Farmácia Drogaminas, juiz classista do Ministério do Trabalho, exerceu diversas funções no Sindicato Rural de Caxambu, na Sociedade Rural do Sul de Minas e também no Núcleo dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador do Sul de Minas, todas em atividades no Município de Caxambu. Baependiano de nascimento, mas fez sua vida e história em Caxambu, cidade do coração”, justificou o presidente Jean Carlos, ao apresentar o projeto.

          O projeto foi aprovado em segunda votação, no dia 17 de agosto, por oito votos. Ausências justificadas dos vereadores Jenny Aragão (Gica) e Jean Carlos (presidente). O vice-presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) presidiu a sessão.