Grande Expedi...

Grande Expediente

Reunião Ordinária

23 de agosto

–  O vereador Vinicius Hemetério pediu ao Departamento de Trânsito providências para a Rua Cesário Alvim, no centro, pois diuturnamente quase ocorrem acidentes no local, em virtude do trânsito da própria rua, bem como da Major Penha. Pediu novamente a colocação de faixas elevadas para pedestres, na Avenida Ápio Cardoso, em locais apropriados, perto das duas pontes. Completou que os veículos e motocicletas entram na cidade em alta velocidade, que não é reduzida na avenida, colocando a vida das pessoas em risco.

– O vereador Dennis Renato Carneiro pediu a realização de uma Audiência Pública para discussão da PEC 32/20, que tramita no Congresso Nacional, e que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa, retirando direitos dos servidores públicos concursados. Completou que é grande a procura dos cidadãos para ingressarem no serviço público, com número elevadíssimo de candidatos em relação às vagas disponibilizadas; e reconheceu os esforços dos candidatos para a aprovação e a importância de seus vencimentos para a economia local. Falou com pesar do falecimento do Padre Nelson Barbosa, no dia 21 de agosto, considerando que fora uma grande perda, pois deixará saudades, sendo muito solícito e dedicado. Explicou que o Hospital não tem estrutura para receber uma UTI, pois possui um número reduzido de leitos, e que o primeiro passo já foi dado com a criação da ACAPS, e que é necessário mobilização para aumentar a estrutura física do espaço, para posteriormente instalar a UTI.

– O vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta) repudiou a fala do ministro da Educação Milton Ribeiro, justamente na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, Lei no 13.585/17, cujo intuito é a inclusão e o combate ao preconceito. “Alunos com deficiência atrapalham o aprendizado de outros estudantes”, justamente no momento em que o Mundo pede a inclusão social. Defendeu os portadores de necessidades especiais e familiares, que estão indignados com a declaração do ministro. Destacou a importância que estas pessoas têm na sua vida, tornando-o um ser humano melhor e pediu ao ministro que se retratasse com o povo brasileiro. Recordou da existência da Lei no 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, bem como da Constituição Federal. Enfatizou que o ministro promove a exclusão, tão combatida, pois a inclusão é um direito e não um favor.

– O vice-presidente Nilton Américo recordou da distribuição, na Reunião, do Projeto de Lei no 67/21, que denomina “Praça Padre Nelson Barbosa Lima”, o canteiro que dá acesso a BR – 267, localizado no fim da Rua Laudelino de Souza Azevedo, no Santa Rita, de autoria do vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta). Acrescentou que a cidade recebeu a triste notícia, no fim de semana; e que o Padre exerceu o sacerdócio em Caxambu, desde 2016, com sabedoria, companheirismo, integridade e com uma humildade imensurável. Considerou justa a homenagem, pois ele dedicou muito a cidade com seus ensinamentos religiosos, falecendo precocemente, o que tanto entristeceu os fiéis que respeitam a vontade de Deus.

– O secretário Arnaldo Ribeiro comentou sobre o evento ocorrido em Boa Esperança, promovido pela AMM e SEBRAE, no dia 20 de agosto. Informou que contou com a participação de deputados estaduais, prefeitos, vereadores e secretários municipais, que tiveram o privilégio de ouvir a palestra com o tema: “O papel do município na implantação das políticas públicas de turismo para geração de emprego e renda”, proferida pelo secretário de Turismo de Caxambu, Felipe Condé Alves, e o Analista Técnico do SEBRAE Minas – Unidade de Comércio, Indústria e Serviços, Vinícius Quintão. Destacou também a importância da palestra magna: “Reinventando o turismo: economia criativa, inovadora e humanizada”, proferida pelo secretário de Turismo e Cultura de Canela (RS), Ângelo Sanches, que entusiasmou muito o público. Falou que a tônica da palestra foi a importância do turismo, e que os turistas não deixaram de frequentar a cidade, mesmo com a pandemia. Discorreu sobre a organização da comunidade gaúcha em torno do turismo, pois todos os moradores estão envolvidos nesta área. Enfatizou os recursos que o turismo traz, que é a solução, e que é muito alta a ocupação dos hotéis na cidade durante todo o ano. Destacou que Caxambu é uma cidade turística e questionou onde está o turismo local, o que tem sido feito com o tesouro: águas minerais e a destinação do Centro de Convenções. Completou que “a hotelaria está lamentavelmente cambaleando”, por causa de crises econômicas e falta de verbas especiais, com juros acessíveis. Comparou que em São Lourenço a situação está bem diferente. Enfatizou que Caxambu não pode perder o foco e que é preciso fazer valer o potencial local, como as águas minerais, o Parque das Águas e o clima, e que é preciso fazer render, principalmente no pós-pandemia. Repudiou a fala do ministro da Educação Milton Ribeiro, e falou da necessidade de respeito para com aqueles que são especiais e que a frase nunca poderia ter sido dita: “Há crianças com deficiência ‘de impossível convivência’ e que as universidades deveriam ‘ser para poucos’”.

– O vereador Vivaldo Azevedo destacou a importância do agronegócio em Boa Esperança e considerou que Caxambu precisa de buscar empregos, com o impulso do Executivo e Legislativo.

– O presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) explicou que primeiramente um hospital tem que fazer o credenciamento, para depois receber uma Unidade de Tratamento Intensivo; e que Caxambu não pode ter uma UTI, pois já existem em Baependi e São Lourenço, considerando a proximidade das cidades e os custos que são muito altos.